moda-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-cnc-fecomercio-sesc-senac-cndl-sindilojas-cdl-lab-hub-fenin-fashion-balneario-camboriu-1
CNDL
moda-inovadora-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-cnc-fecomercio-sesc-senac-cndl-sindilojas-cdl-lab-hub-sicc-salao-calcado-gramado-rs

54% dos internautas adquiram algum conteúdo ou serviço digital no último ano, aponta estudo da CNDL/SPC Brasil

54% dos internautas adquiram algum conteúdo ou serviço digital no último ano, aponta estudo da CNDL/SPC Brasil

54% dos internautas adquiram algum conteúdo ou serviço digital no último ano, aponta estudo da CNDL/SPC Brasil

Streaming de filmes e séries, cursos online e streaming de música foram os principais infoprodutos comprados. Gasto da última compra foi de R$ 155

Nos últimos anos, a oferta de infoprodutos teve um grande crescimento em todo o mundo. Infoprodutos são produtos digitais ou serviços vendidos na internet. De acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offerwise Pesquisas, 54% dos internautas do país compraram algum tipo de infoproduto nos últimos 12 meses anteriores a coleta da pesquisa, sendo os mais adquiridos: streaming de filmes e séries (31%), cursos online (17%), streaming de música (15%), e-book (8%) e livros e/ou apostilas (7%).

A pesquisa aponta que em média, os internautas compraram 2,8 infoprodutos nos últimos 12 meses, com um gasto médio de aproximadamente R$155 na última compra.

De acordo com os entrevistados, entre as principais finalidades de compra dos infoprodutos estão o lazer (27%), o desenvolvimento pessoal (27%), ganhar dinheiro (26%) e o desenvolvimento de carreira (19%).

“A revolução do meio digital e a aceleração da educação online, principalmente após a pandemia, fizeram com que os infoprodutos ganhassem ainda mais força e espaço na internet. Seja por lazer, educação, aumento de renda ou para desenvolvimento pessoal, a população está cada vez mais habituada a utilizar este tipo de produto e serviço”, destaca o presidente da CNDL, José César da Costa.

Música, cursos preparatórios, beleza e estética lideram o ranking dos infoprodutos mais adquiridos

Considerando uma nota de 1 a 5 (em que 1 significa que está pouco satisfeito e 5 muito satisfeito), 82% dos entrevistados declaram-se satisfeitos em algum grau com os infoprodutos adquiridos. Sendo 4,1 a nota média de satisfação.

De acordo om a pesquisa, o ranking das categorias dos infoprodutos mais comprados é liderado pelos streamings de música (16%), cursos preparatórios (12%), beleza e estética (12%), seguido pelo empreendedorismo (11%, destaque entre as mulheres e os mais velhos), tecnologia (11%) e marketing / marketing digital (11%).

O grau de satisfação e de segurança dos internautas é alto, uma vez que 87% sentiram-se seguros com as informações pessoais disponibilizadas ao realizar o pagamento e 86% ficaram satisfeitos com a experiência do pós-compra (entrega, suporte, garantia).

Para 85% dos entrevistados, o infoproduto atendeu às expectativas das promessas feitas na propaganda, site ou live assistidas antes da compra, 84% ficaram satisfeitos com a experiência de pré-compra (pesquisar, informações transmitidas sobre o produto, e atendimento do vendedor) e 82% confiaram na experiência do especialista e qualidade do conteúdo disponibilizado no produto.

53% preferem fazer curso online ao invés de em instituições tradicionais. 58% concluíram o infoproduto comprado

Apesar da compra do infoproduto ser por meio digital, alguns serviços possuem também encontros presenciais. Entre os que adquiriram consultoria, mentoria, coaching e evento, 58% dos encontros foram online e 18% de maneira híbrida (presencial e online).

De acordo com os internautas entrevistados, 53% preferem fazer curso online com experts ao invés de em instituições tradicionais pela flexibilidade de fazer o curso em qualquer horário, 52% pela facilidade de acesso ao conhecimento / não precisar se deslocar, 52% por ser mais prático e 41% por ser mais acessível.

O processo de compra online de um infoproduto voltado a educação também passa por pesquisa de mercado e planejamento, uma vez que 86% dos consumidores pesquisaram sobre o especialista / vendedor do curso antes da compra, sendo que 38% buscaram informações sobre a credibilidade, 37% sobre a qualidade do conteúdo nas redes sociais e 35% avaliações. Para 26% dos entrevistados, a compra não foi planejada, porém 42% planejaram todas as aquisições.

De acordo com o levantamento, 58% dos consumidores pesquisaram preços similares do último infoproduto adquirido, sendo 29% para comparar propostas custo x benefício e 28% para pegar a melhor oferta / preço. Porém 29% não pesquisaram, principalmente porque queriam fazer com um especialista / produto em específico.

Quanto a comunicação realizada para ativação da venda: 38% foram impactados por propaganda /anúncio na internet, 30% indicação de amigos, 26% já acompanhavam o especialista ou empresa nas redes sociais e 14% participando de lives no Instagram.

De acordo com os entrevistados, 44% participam de comunidade no whatsapp com o objetivo de atualizações, dicas e compras de curso de assuntos de interesse, sendo que 30% para atualizações de mercado e dicas e 19% compras de cursos.

Além disso, 58% concluíram o infoproduto comprado, com destaque para cursos online (20%), livros e/ou apostilas (18%), ebooks (14%) e consultoria, mentoria ou coaching (12%). Para 63% o conteúdo entregue foi superficial e 30% relevante.

A pesquisa mostra ainda que 50% admitiram colocar parcialmente em prática o aprendizado adquirido, enquanto 38% totalmente e somente 8% não colocaram.

A respeito da experiência com esse tipo de compra, 12% se arrependeram da última aquisição e pediram reembolso, enquanto 84% não se arrependeram.

Em relação à segurança do processo de compra, o levantamento mostra que 82% dos consumidores não sofreram golpe no processo de compra, enquanto 17% sofreram, seja porque não houve entrega do infoproduto (10%) e tiveram o cartão de crédito/débito clonado (8%).

METODOLOGIA

Público-alvo: Homens e mulheres, com idade igual ou maior a 18 anos, de todas as classes econômicas, e que realizaram compras pela internet nos últimos 12 meses.

Método de coleta: Pesquisa quantitativa com coleta de dados via web através de painel de internautas, com o uso de questionário estruturado para autopreenchimento.

Tamanho amostral da Pesquisa: Foram realizados 1120 contatos em um primeiro levantamento para identificar o percentual de pessoas que compraram pela internet nos últimos 12 meses. Em seguida, continuaram a responder o questionário 880 casos, que fizeram alguma compra ao longo deste período. Resultando, respectivamente, uma margem de erro no geral de 2,9 p.p e 3,3 p.p para um nível de confiança de 95% para mais ou para menos. Foi ponderada a base total, de acordo com a população brasileira e a base de consumidores online do resultado deste estudo.

Data de coleta dos dados:  A coleta foi realizada entre os dias 17 a 25 de julho 2023.

SOBRE O PORTA-VOZ

DANIEL SAKAMOTO: Mestre em Políticas Públicas e Governo pela Fundação Getulio Vargas, bacharel em Direito (IESB) e Relações Internacionais (Universidade Católica de Brasília) com especialização em Gerenciamento de Projetos (University of California) e certificação PMP®️ – Project Manager Professional. Atualmente exerce a função de Gerente Executivo na Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.